passaTEMPO

Photobucket

Passaram por aqui

domingo, 27 de maio de 2012

Par)seria?! + uma com Marcos Kawanami


SERINGAL

Sangra, seringueira, sangra,
que não és milho,
não és mandioca,
nem feijão.

O teu sangue não sustenta,
não é comida
ao homem,
ao gado,
nem mesmo ao cão.

O milho, a mandioca, o feijão,
cumprem seu fado,
dão frô e fruto,
são comida pro matuto.

A seringueira se consome em vão,
ao jogo da Civilização
ou pecado original,
mercado, indústria, Ciência irracional.

A borracha sangra, tortura
aquele pau, feito gonorréia,
que seu sangrar é pus branco
descendo em perene diarréia.

Marcos Satoru Kawanami


7 comentários:

myra disse...

parabens a Marcos, qta razao! e voce meu genial Tonho, que coisa tao - ja nem sei que dizer - mas repito OTIMA!!!!!
beijos enormes aos dois!!!

Samara Bassi disse...

Uma dupla genial!

Beijossss
Sam.

Marcos Satoru Kawanami disse...

Quem é esse Kawanami, tá comendo?

Tonho,

Um jornal de lá encomendou um artigo sobre o mal do progresso em Ouro Preto. Fiz em redondilhas, e consegui o pagamento de 5 reais. Na época, 1 real dava para comprar 1 frango. Foi muito bom.

Um colega pediu poema para uma de suas namoradas, fiz um soneto a 2 reais e comprei o frango já assado.

Eu ainda trabalhava nos refeitórios da universidade, vê-se que eu só pensava em me alimentar.

=D
Marcos

Adriana Godoy disse...

Tonho, o Marcos com sua ironia e sarcasmo consegue dar dimensão às coisas mais banais(ou não).
A sua arte corrobora bem com esse sujeito nem um pouco oculto.

Aplausos aos dois!

Catia Bosso disse...

Poesia de gente grande por aqui...

Belo!

bjss meuss

CAtita

Alex disse...

Boa Tarde,

Gostaríamos de lhe fazer uma proposta, caso tenha interesse em conhecê-la pedimos a gentileza de que entre em contato conosco pelo e-mail divulgacao@jurua.com.br.

Atenciosamente,
Alex Chagas
Juruá Editora

Elisa T. Campos disse...

Para maior de 18 anos.